sexta-feira, 27 de Janeiro de 2012

Alguns aspetos Pedagógicos em eLearning



Introdução

No âmbito do Mestrado em Pedagogia do eLearning da Universidade Aberta de Lisboa, na unidade curricular Processos Pedagógicos em eLearning, foi proposto na atividade 2, realizar uma pequena investigação sobre práticas pedagógicas reais em elearning, através do recurso a uma entrevista a um(a) professor(a)/formador(a) online e a elaboração de um artigo científico com base na análise da entrevista, recursos consultados e numa reflexão pessoal.

A primeira fase da atividade residiu na seleção de possíveis entrevistados, professores/formadores, em contexto online. A nossa escolha incidiu sobre Manuela Francisco, Instrucional Designer do Instituto Politécnico de Leiria, Unidade de Ensino a Distância (UED) e Stephen Downes, sendo este um dos autores estudados e referênciados no decurso deste mestrado.

Após realizados os primeiros contactos, via e-mail à Manuela Francisco e por mensagem privada, via Facebook, para Stephen Downes, recebemos prontamente uma resposta positiva por parte da primeira entrevistada. Para o segundo foi necessário nova mensagem, mais detalhada quanto a entrevista a ser realizada, sendo então pronta e afirmativa a resposta.

A elaboração dos guiões das entrevistas iniciaram-se a partir da resposta afirmativa de colaboração da Manuela Francisco e esses tiveram como objetivo, superar com sucesso o desafio proposto na unidade curricular e, ao mesmo tempo, ajustar o mais possível, as questões ao perfil dos entrevistados e às informações que necessitávamos conhecer.

As entrevistas foram realizadas com sucesso, mas o fato de serem colocadas questões fechadas, condicionou as respostas recebidas, de forma que ainda ficamos ávidas de mais e novas informações.

As autoras

Carla Cardoso
Débora Cunha

Artigo disponível em:
http://entrevistappel5.wikispaces.com/Artigo

Análise de Conteúdo de uma Entrevista

"Normalmente, os dados verbais que foram gravados em áudio ou vídeo são convertidos em texto escrito, ou seja, uma "transcrição". As transcrições são representações visuais de interações verbais. Ao preparar os dados verbais para análise, a "configuração" e a "forma" da conversa é mantida na forma escrita. Em outras palavras, a linguagem falada não é escrita como narrativa, mas como diálogo." (Martins & Theóphilo, 2007)