Mostrar mensagens com a etiqueta Mobile Learning. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Mobile Learning. Mostrar todas as mensagens

segunda-feira, 5 de Dezembro de 2011

Potencialidades da Ferramenta WildKnowledge


Ferramenta criada em 2004 no âmbito de um projeto universitário em Oxford Brookes University “que pretendia examinar o quanto os dispositivos móveis equipados com GPS e teclas interativas ofereciam uma maneira mais atraente de identificação e registo dos animais selvagens”. Os resultados da pesquisa revelaram-se extraordinariamente positivos ultrapassando os “muros de Oxford Brookes no final de 2006”. O WildKnowledge (WK) oferece várias aplicações (WildKey, WildForm, WildMape, WildImage) que possibilitam ao utilizador criar, consultar e compartilhar conteúdos para dispositivos móveis.
A conceção da trilha através do Google maps e o experienciar a visita ao Palácio São Lourenço através do WildKnowledge revelaram-se ferramentas bastante interessantes a nível educacional, sendo possível aumentar a motivação dos estudantes para além de possibilitar conteúdos de forma mais interessantes.

sábado, 3 de Dezembro de 2011

Micro – Atividade 6 Mobile Learning


QR- Trilha Avenida da Boavista - Parque da Cidade


A trilha que proponho no Google maps é a Avenida da Boavista – Parque da Cidade no Porto. Este foi mais um desafio proposto na unidade curricular: Ambientes Virtuais de Aprendizagem (contexto m-learning).
Irei conjugar uma visita a monumentos antigos e arquitetura contemporânea, sem esquecer um espaço onde poderá saborear a famosa francesinha…

Preparados???

Iniciamos a visita na Praça de Mouzinho de Albuquerque, mais conhecida por Rotunda da Boavista. No centro do jardim, em homenagem aos Heróis da Guerra Peninsular, encontramos o monumento comemorativo aos bravos desta luta da autoria do arquiteto Marques Silva e do escultor Alves Sousa.

No início da Avenida da Boavista, temos a Casa da Música, da autoria do arquiteto holandês Kem Koolhaas, para o evento Porto Capital Europeia da Cultura em 2001 (Porto 2001), transformou-se desde logo um ícone da cidade e local de passagem obrigatória.

De regresso a Avenida, sugiro uma pausa para saborear aquela que foi considerada uma das 10 melhores Sanduíches do mundo em 2010: a famosa francesinha.

Seguindo em direcção ao mar, e fazendo um ligeiro e “obrigatório” desvio da Avenida da Boavista, temos a Fundação Serralves localizada no Parque Serralves, onde encontramos o Museu de Arte Contemporânea e a Casa de Serralves. Serralves é ainda referência no património da paisagem em Portugal, “resumindo e simbolizando uma aprendizagem e um conhecimento das condições de transformação do território, no espaço e no tempo, num contexto cultural: Portugal nos séculos XIX e XX.

A uns metros à frente, temos aquele que foi considerado internacionalmente um dos edifícios do ano na categoria de arquitectura institucional pela sua arquitectura invulgar, o Edifício Vodafone.

Finalizamos a nossa trilha, com um passeio no Parque da Cidade desfrutando de um ambiente rural e campestre, que se estende até ao Oceano Atlântico. Salientando o ano de 2000, ano em foi seleccionado pela Ordem dos Engenheiros com uma das “100 obras mais notáveis construídas do século XX em Portugal”.

Espero que tenham gostado ;-)

quarta-feira, 30 de Novembro de 2011

QR Code

qrcode
https://sites.google.com/site/formativiactsei

Na unidade curricular Ambientes Virtuais de Aprendizagem, têm sido exploradas diferentes potencialidades dos dispositivos móveis (telemóveis, PDAs, tablets …) na aprendizagem. A micro-atividade 5 consiste na utilização de QR Code.

QR Code abreviação de Quick Response Code (Código de Resposta Rápida), é um código de barras bidimensional usado como um sistema para armazenar informação através de uma matriz de pontos negros, ou seja é uma imagem que tem incluída informações que podem ser lidas através de telemóveis ou outros dispositivos móveis. Apesar de já muito utilizado em alguns países, sobretudo em setores da indústria e do comércio, revelam-se também numa possibilidade educativa, traduzindo-se numa possibilidade de atrair e motivar estudantes, assim como apoiar um determinado conteúdo ou como bibliografia adicional.

As diferentes fases da atividade, permitiu-me ter uma noção mais clara da utilização de um Código QR e como os mesmos podem ser usados como um incremento à aprendizagem, sendo claramente visível com o jogo das capitais (Quiz sobre as Capitais).

Referências Bibliográficas
Moura, Adelina. (2011) “QR Code - uma tecnologia da era móvel” in Mobile Learning 21.
Disponível em:
http://moblearn21.blogspot.com/2011/04/qr-code-uma-tecnologia-da-era-movel.html

Rodriguez, Eva. (2011). “Qué son los códigos QR y como utilizarlos en el aprendizaje?” In Iberestudios.
Disponível em:
http://noticias.iberestudios.com/%C2%BFque-son-los-codigos-qr-y-como-utilizarlos-en-el-aprendizaje/

">

sábado, 26 de Novembro de 2011

Mobile Learning

Rapidamente se identifica na imagem as três fases evolutivas do m-learning: i) o dispositivo; ii) aprendizagem fora da sala de aula e iii) mobilidade do aprendente.
As tecnologias móveis sofrem sucessivas transformações e adaptações, permitindo novas formas de interação social e diminuição das barreiras espaciais. Vários estudos tem sido realizados, acerca de como são utilizadas as novas tecnologias e como podem ser usadas como ferramentas de aprendizagem. São vários os dispositivos encontrados no mercado (PDAs, tablets, telemóveis, PC`s…) que podem ser usados no campo educativo para ensino e formação. A aprendizagem fora da sala de aula, deixando de haver limitações do local onde ocorre a aprendizagem dadas as caraterísticas de portabilidade e mobilidade dos dispositivos móveis, sendo uma das qualidades a ubiquidade. Por último, e perante a rápida mutação do mercado destaca-se a mobilidade do aluno, proporcionando novas formas de aprendizagem e a aprendizagem ao longo da vida.
Os áudios apresentados complementaram as ideias iniciais, mostrando-se fundamentais na consolidação do conhecimento. São apresentados de forma clara e de fácil compreensão, sendo um excelente complemento à utilização dos dispositivos móveis, traduzindo-se numa vantagem do m-learning, para além de se revelar numa possível forma de solucionar o “desconforto” da escrita/leitura em equipamentos de tamanho reduzido.
As fases apresentadas revelam-se complementares, uma vez que sem tecnologia móvel estava comprometida a conceção de novas possibilidades de aprendizagem.


Imagem retirada de: http://mlemoodle.ensinoinf.net/blocks/mle/browser.php?xml=i0,c8,c9-6,s3-6-5,r0-111